Página Inicial
Boas vindas
Quem Somos
Convenções
Consultas
Exames
Marcações
Instalações
Onde Estamos
Ligações Úteis

EXAMES Para cima ] Seguinte ]

 

ELECTROMIOGRAFIA (EMG)

Electromiografia é literalmente o escrever (registar) a actividade eléctrica muscular. Quando utilizamos a palavra electromiografia em sentido lato queremos referirmo-nos ao estudo da actividade eléctrica dos músculos e nervos. Quando os músculos estão activos produzem uma corrente eléctrica significativa. Esta corrente é geralmente proporcional ao nível de actividade muscular.

Uma EMG pode ser útil na detecção de actividade eléctrica muscular anormal, o que pode ocorrer em muitas patologias e condições, sejam elas com sede primariamente no músculo ou secundárias a lesões dos respectivos nervos tributários.

 

Porquê realizar uma EMG?

Uma EMG é geralmente requisitada por queixas de diminuição de força, ou por queixas sensitivas (dor, diminuição, ou perversão da sensibilidade num dado território). Serve igualmente para detectar uma efectiva fraqueza muscular por oposição a uma fraqueza condicionada por dor ou problemas motivacionais, ou ainda secundária a uma lesão do Sistema Nervoso Central.

Como se realiza uma EMG?

O processo de realização de uma EMG envolve a inserção de um eléctrodo de agulha (eléctrodo) no músculo a estudar, de forma a medir a actividade eléctrica. Esta actividade é visualizada num osciloscópio e é também avaliada auditivamente através de um microfone. Dado que os músculos esqueléticos são geralmente extensos, poderá nalguns casos ser necessário a inserção da agulha em mais do que um local de modo a obter uma EMG mais eficaz e informativa. Depois da inserção da agulha e do estudo em repouso, o paciente é requisitado para contrair o músculo (por exemplo, dobrar a perna ou o braço).

 

 

PREPARAÇÃO

Nos adultos, não é necessária qualquer preparação especial.

Para crianças, a preparação física e psicológica depende da idade, comportamento e experiências clínicas anteriores. (Por exemplo se a criança já sofreu tratamentos dolorosos ou outra actividade médica traumatizante)

 

A realização de uma EMG envolve dor?

Sim, efectivamente. Existe inegável e inequivocamente algum desconforto na altura da inserção da agulha. A sensação é semelhante a uma vacina, apesar de nada ser injectado durante este procedimento. Após o exame, o músculo pode estar um pouco dorido e o paciente ressentir-se durante algum tempo.

Que outro(s) teste(s) são executados durante uma EMG?

O estudo das velocidades de condução nervosa constitui um procedimento realizado frequentemente numa electromiografia. Neste teste, o nervo é estimulado electricamente e a resposta é registada através de eléctrodos de registo, numa estrutura-alvo (por exemplo um músculo no caso de determinações da velocidade de condução motora - VCM, ou terminações periféricas sensitivas do nervo no caso de velocidade de condução sensitiva - VCS). O tempo decorrido entre o estimulo e a resposta denomina-se latência. A diferença de latência entre respostas correspondentes a estímulos em diferentes locais do tronco nervoso permite, ao funcionar como divisa da distância entre os dois pontos, calcular a velocidade de condução do nervo nesse segmento (expressa em m/s). Uma diminuição substancial nesta velocidade pode corresponder a patologia nervosa. As velocidades de condução podem ser usadas para detectar lesões nervosas periféricas (como por exemplo uma polineuropatia, ou compromissos localizados de troncos nervosos periféricos). A temperatura corporal deve ser mantida constante e a um nível adequado, uma vez que temperaturas baixas podem diminuir a condução nervosa.

ELECTROMIOGRAFIA  |  ELECTROENCEFALOGRAFIA  |  POTENCIAIS EVOCADOS  |  ESTUDOS de SONO

© 2006-2013 NEUROFISIO - Centro de Neurofisiologia Clínica, Lda.
Website by
Carlos Gil Martins